Ir para o conteúdo

Ir para o menu

Minha foto
Nome:
Local: Itatiba, SP, Brazil

Mais uma história da menina

28/04/2009

Finalmente a menina tomou coragem, discou o número dele e disse que queria conversar, ele topou, no entanto algo saiu errado.

Ela estava la, ele também, mas e tudo aquilo que ela tinha a dizer?

Todas aquelas palavras que estavam engasgadas, todo aquele turbilhão de sentimentos que estava levando aquela garota a eloquencia a cada dia?
Fugiram...
Ela queria dizer, falar pra ele sobre coisas que ela também não entende.
E mesmo sem entender, ela quer deixar que ele saiba, mesmo que ele também não entenda, ou ache graça.

Sabe, em nossas vidas, vivemos muitas coisas, conhecemos muitas pessoas, e com o passar dos anos formamos conceitos, criamos valores, adquirimos determinadas certezas, e vivemos de acordo com isso.

Ela nunca teve dificuldade com comunicação, desde que não se tratasse dos seus sentimentos, e desde que ela se entende por gente, escreve sobre seus sentimentos, pois essa foi a única maneira que ela encontrou de expressa-los.

No entanto hoje, ela não consegue encontrar palavras que sejam suficientes para descrever o que ela sente, toda essa confusão dentro dela e tão pouco sabe se é bom ou ruim.

Por mais que ela tente, pense, repense, ouça algumas pessoas, nem mesmo com tanto esforço é capaz de traduzir o que esta acontecendo.
Ela que sempre teve o controle da sua vida, controlava tudo que sentia, sempre com os dois pés no chão.

Algumas vezes ela podia não saber o que queria pra sua vida, mas sempre teve a certeza daquilo que NÃO queria, e ela nunca quis perder o controle, nunca quis tirar os pés do chão, nunca quis deixar que sua vida fosse tomada pelo encanto de qualquer outra pessoa.

A vida era dela, e somente ela poderia comanda-la.

Não porque ela era uma menina rebelde nem nada, mas desde criança ela aprendeu que um homem pode fazer muito mal a uma mulher, e que essa mulher por amor a ele e sua familia pode renunciar a muitas coisas, pode sofrer muito, levar uma vida que ninguem merece.

Ela ainda hoje no meio da noite acorda assustada com gritos, insultos dos piores que podem existir, ela ainda sente medo de perder a pessoa mais importante da sua vida nas mãos de uma outra tão importante quanto.

As vezes ela ainda escuta sons de tapas e murros, gritos e mais gritos, palavrões da pior espécie, e ela sente aquele aperto bem forte no peito, um medo terrível e uma sensação de total impotencia, porque ela, nada podia fazer, ela só queria que tudo aquilo acabasse, que o efeito do alcool passase e que no dia seguinte fosse estabelecido uma lei mundial e que todo o alcool
do mundo fosse extinto.

Pois alguns conhecem o prazer que ele pode oferecer mas ela, até então somente conhecia a dor que ele podia causar.

E ela, uma criança, nada podia fazer pra evitar tudo aquilo, a única coisa que ela podia era rezar, só lhe restava recorrer ao além.

E assim ela passou a maioria de suas noites, aos prantos, com o coração quase saindo pela boca, com uma dor inexplicavel, um medo imensuravel somente suplicando a alguém que pudesse intervir naquela situação.

E esse menina não entendia aquilo que acontecia em sua casa.

Por que cada um não podia seguir para o seu lado e assim nunca mais ter que passar por aquilo?

Ela que apanhava e era insultada sem motivo algum, ele que deixava sua dignidade em qualquer buteco da cidade, passava a vida se matando de trabalhar pra no fim não ter nada, nada além de hematomas por tombos que levou por não ser capaz de controlar suas pernas, ou dividas que fez pra sustentar seu vicio.

A menina só conseguia achar uma justificativa, ela o amava e por isso não o deixava.

E sendo assim, essa menina fez um juramento pra ela mesma: nunca iria amar ninguem, porque nunca, NUNCA, queria passar por cenas das quais assistiu e jamais gostaria que alguém passase pelas madrugadas que ela passou.

E então a menina assumiu total controle de sua vida.

Até que um dia, apareceu ele, um garoto que a partir daqui vou chamar de Porthos.

E de repente ela entrou na máquina do tempo e se transformou em uma adolescente de 15 aninhos.
Ela não sabe dizer o que em Porthos faz isso com ela, não sabe se são seus olhos, ou sua fala, talvez seja seu beijo, seu toque ou como diriam suas amigas, o simples fato de ele não a querer.

Porthos fez ela perder o controle.

Por mais que ela tentasse não pensar nele, era o seu unico pensamento durante o dia todo, por mais esforço que pudesse fazer para se concentrar no trabalho, ainda assim era impossível, quando ela se dava conta, ja estava la, relembrando aqueles momentos, aquele beijo, aquela sintonia.

De repente, a menina não se reconhecia mais.

Só a presença de Porthos bastava para deixa-la zonza, sem chão, perdida....
O simples fato de pensar nele fazia seu coração disparar, isso a deixou assustada.
Um simples pensamento fazia ela sentir aquele friozinho na barriga, fazia ela tremer....

Como pode?
Ela também não sabia.

Mas ele despertou nela muitas sensações que ha tempos não sentia e outras totalmente inéditas.
Ainda mais quando lhe deu aquelas justificativas que não convenceriam ninguem....
E tão pouco convenceram a menina.
Ela sabe que Porthos não é nada daquilo que ele mesmo disse, e tão pouco o que os outros disseram...

Talvez seja pra eles, mas não pra ela.
Talvez seja um dia, mas não hoje.

Hoje ela pode dizer que esta mesmo perdida, se perdeu de si mesma, não reconhece mais aquela imagem que aparece no seu espelho.

Mas não é culpa de Porthos, nem da menina.

É só a vida com seus ciclos, com suas armadilhas e supresas.

Apesar de não entender ela sabe que Porthos tem seus motivos, mesmo que não compartilhe com ela.

No entanto toda essa confusão de sentimentos que deveria ter passado conforme os dias passaram, ainda insistem em ficar ali.
Intactas.
Ela ja tentou se convencer a esquecer, a não pensar, mas é inútil.
Ela não tem mais controle.

Mas ela precisa ter, ela prometeu, jurou pra si mesma.
E em busca desse controle, em busca de sua identidade perdida, querendo voltar a ser quem ela se propos a ser, essa menina fica cada dia mais perdida.

Fala demais algumas vezes e de menos em outras tantas.

Ela mete os pés pelas mãos, chora diante de estranhos e abre seu coração em lugares, horarios e para as pessoas mais inusitadas.

A menina não sabe mais quem é ela, mas ela continua sabendo o que ela não quer.

Ela não quer perder o controle.

Não quer sonhar, não quer amar.

Ela também sabe que toda essa confusão vai passar, mas enquanto não passa, ela sabe quem é hoje.

Hoje ela é somente uma menina sem o seu Porthos.

por ♥ Janinha ♥ @ 15:08 - 3 Comentários

Sinto e sei que sou algo bem MAIOR!

25/04/2009

Preparem seus ouvidos, pois agora eu vou gritar!

Vou gritar que eu NÃO ESTOU APAIXONADA!

Portanto, parem de olhar pra mim e falar comigo como quem sente muito pela minha suposta dor.

E vou gritar mais, vou gritar que SOU LIVRE.

Que não faz sentido toda essa sua curiosidade pra saber o que eu faço.
Eu não gosto de me explicar!
Vamos combinar, existe alguma razão pra viver assim se não estamos de verdade juntos???
Definitivamente NÃO.
Portanto deixe-me viver e viva também.
Chega com todos os ecos e curvas que as ondas sonoras têm direito.
Chega de brincar com minha vida e zerar o seu placar!
O mundo esta girando e em cada fração de segundo zilhões de pessoas tem se apaixonado e desapaixonado.

Ás vezes sinto que estou enlouquecendo, algumas vezes acho que estou caindo no abismo da depressão, de repente esqueço tudo isso e me sinto a pessoa mais feliz do mundo e desejo viver eternamente.

Cansei de ser princezinha!
Estou renunciando a minha coroa e botando fogo no meu castelo.

Ser obediente aos próprios sentimentos?
Se deixar levar, correndo riscos ao ceder a um sentimentozinho, seja ele grandioso ou um impulso do momento?

Isso qualquer mortal é capaz.

Agora que tal nos elevarmos, não precisamos renunciar tais emoções, o segredo, escutem bem é ter controle.

Agir friamente, conciliando razão e emoção, fazendo com que ambas dancem uma valsa, suave, e previsivel em nosso interior.

Eu quero mais....sempre mais!

Amor...
Por que elevamos esse sentimento?

Fala-se dele as mais lindas palavras, chegando até mesmo a estima-lo mais do que a justiça.
É como se ele fosse uma entidade superior!

Galera...
Só posso definir amor como estupidez!
Pra mim são sinonimos.

Ele tira de você tudo que tens, rouba até mesmo sua identidade, e distribui a qualquer pessoa, sem nenhum pudor, mesmo que essa pessoa não mereça nem mesmo o seu desprezo, e mais nem sequer ouvimos um agradecimento por isso.

É imparcial.

Amor e ódio.....

Não se odeia quando pouco se preza, odeia-se só o que está à nossa altura ou é superior a nós.(Nietzsche)

Portanto, seria muita pretensão acreditar que eu desenvolvi tal sentimento por algumas pessoas.

Eu me reservo para adversários mais dignos, sei que em razão disso tenho que passar por cima de muitas ofensas, deixo que me massacrem com suas palavras.

Olhe só pra você!!

Isso é insano.

Você não pede licença nenhuma, simplesmente me coloca em um altar de adoração e louvor, e depois vem me cobrar que eu atenda suas malditas expectativas!!!

E quando isso não acontece você simplesmente me coloca na cruz, me surra, me apedreja e me coloca em um tumulo, pra depois de alguns dias poder me ressucitar e me levar de volta aquele altar estupido!

Chega!!

Se você não tem maturidade pra lidar com seus sentimentos, é melhor que nós nos enterremos simultaneamente, para sempre, ou então até o dia em que você transceda esse emocional e possa finalmente conviver comigo algo bem maior do que a ansia de me possuir.

por ♥ Janinha ♥ @ 08:28 - 1 Comentários

Todo dia de manhã é nostalgia das besteiras que fizemos ontem

24/04/2009

Hoje foi um daqueles dias em que eu não queria levantar, estou assim, meio estranha hoje.

Mas isso não é drama porque eu nem mesmo gosto de dramas, não é necessidade de atenção, ou quem sabe talvez seja.

Eu não quero mais me entender, nem te entender, nem entender ninguem e também não quero que ninguem me entenda.

Hoje é um daquele dias em que nada mais parece fazer sentido.

Vinte e dois anos se passaram, mas ás vezes eu pareço ainda não ter vivido.

Tudo se faz nada.

Nunca senti atração e repulsa simultâneas.
Estou infeliz!!!Se pudesse, não escolheria isso.

Essa febre que acelera o meu pulso passará logo.Esse desejo de beijar, abraçar, cheirar você e sentir o gosto do perfume da sua pele passará.

Algum outro furacão surgirá para jogar-me, fazendo-me girar, girar e girar...

Então quando ele e eu estivermos em um restaurante e eu ficar olhando fixamente para o copo de vinho perdida em meus devaneios, vou procura-lo em mim e tudo que vou encontrar será nada.

E eu espero que isso não seja mais uma mentira como tem sido.

por ♥ Janinha ♥ @ 09:44 - 0 Comentários

Luz, camera...AÇÃO!

23/04/2009

“Chegar aos quarenta abalou a idéia de que tudo me era possível.
Subitamente entendi o fato mais óbvio da vida: que o tempo é irreversível, que minha vida estava se consumindo.Agora sei que o rapaz infinitamente promissor, foi meramente uma ordem de marchar, que “promissor”, é uma ilusão, que “infinitamente” não tem sentido e que estou em fileira cerrada com todos os outros homens marchando em direção à morte.” Nietzsche

Se estamos assim, em fileira cerrada marchando em direção a morte, por que ainda
temos medo?
Medo de errar, medo de perder, medo de sentir...
Temos tão pouco tempo, e de nada adianta fugir da dor, pois ninguém foge a morte.
E ela sim é o fim.

Quanto mais o tempo passa, maiores são os nosso medos, maior é o número de traumas que carregamos, maiores são as decepções que colecionamos, menor é a crença, quase nenhuma é fé que nos resta.

Nossa vida nada mais é do que escolhas.

Quando acordamos,fazemos a primeira escolha do dia, escolhemos se nosso dia sera maravilhoso, se estaremos feliz, ou então se estaremos de mal humor e com raiva do mundo.

É eu acredito no segredo.

E assim seguimos, com nossas escolhas, tudo não podemos ter, então temos que priorizar, e isso sim é dificil.
Desde as futlidades até mesmo as situações mais relevantes.
Fermentado ou destilado? Esmalte claro ou escuro? Cabelos compridos ou curtos?
Fazer aquilo que gosto ou ganhar dinheiro?Amar ou ser amada?

E nesse tempo que estamos aqui, vivendo, por que não assumimos quem somos?
Que tal jogar todas essas mascaras fora e ser aquilo que queremos ser?
Chega de ser aquilo que esperam, chega de dizer aquilo que querem ouvir, chega de a cada passo dado ficar imaginando o que fulano ou ciclano ira pensar.
Chega de priorizar o outro.De agora em diante sejamos a prioridade de nossas vidas, nossos desejos e vontades devem prevalecer.

Certa vez me disseram, o seu limite de valer a pena vai até quando passa a deixar de valer para o outro.
Incrivel.

Então que nossa vontade seja feita e respeitada, desde que não façamos mal a ninguem, de forma direta é claro.

E sabe do que mais?

Escrever para mim é uma terapia, assim como para muitos, no entanto por mais lindas que sejam as palavras, por mais sensibilidade que possam causar.

Ainda assim, a verdadeira essencia da vida esta nos atos.
Agir.

Executar os verbos ao inves de tão somente pronuncia-los ou escreve-los, torna-se o sujeito das orações, fazer, ser.

Transformar essa história em uma narrativa em primeira pessoa, mas desde que eu seja mesmo essa primeira pessoa, não só no escrito, mas que essa história saia do papel e seja parte da minha vida.

Não vou mais me convencer de que estou certa, quando na verdade sei que estou errada.

Não vou mais ser coerente.

Vou deixar de acreditar que a vida é como uma receitinha de bolo, e que tudo sempre foi assim, e que é regrado.
Vou fazer a diferença.

Não estarei mais nos bastidores, de agora em diante sou a protagonista desta história...
E você?
Pra você tenho duas opções, pode ser o mocinho ou o bandido....
De qual gosto mais?
Desse com sabor de beijo molhado e abraço apertado....

por ♥ Janinha ♥ @ 09:39 - 2 Comentários

"Se fosse pra te deixar....te deixaria dentro de mim..."

16/04/2009

"Se fosse pra te esquecer, te esqueceria...
Só pra lembrar outra vez e ficar assim, como se nada fosse ruim..."





Quantos capítulos ja passaram dessa minha vida e quantos ainda estão por vir.
E quão grande é o número de pessoas que ja passaram por ela?

Amigos, conhecidos, namorados, casinhos...

Eu poderia compara-los a uma biblioteca, como se cada um fosse um livro.
Com suas capas e conteúdos, alguns de fácil acesso, outros quase impossível saber o que tem escrito em sua páginas.
Existem aqueles que só possuem capa...ou aqueles sem capa nenhuma.

São tantas as idas e vindas, tantas despedidas e tantas apresentações...
Parando pra pensar, fico aqui lembrando, de alguns momentos, algumas pessoas, o que elas foram pra mim, o que me fizeram sentir, a lembrança que guardo.

Outras quase não lembro de terem passado pela minha vida.

"Há sempre alguém na vida da gente...
Alguém que aparece sorrindo...
Alguém que nos deixa chorando...
E por mais que a gente tente esquecer...
Há sempre alguém que é impossível esquecer!!!"

Entre as que ja se foram, as que ainda estão presente e as que virão...só desejo uma coisa.
Alguém, só um alguém, que chegue de cavalo, charrete, limosine ou caminhando.
Mas que faça esse tal de coração acordar e fazer tum tum.

Em toda a minha vida optei por amores platonicos, aqueles que se vive sozinho, não se declara, não é preciso presença, nem toque, somente a existencia do ser basta para que o amor aconteça e se mantenha.

Não sei ao certo porque, mas sempre foi assim, não que não houvessem oportunidades de tornar alguns desses amores reais, mas eu sempre preferi deixa-los ali, na platonice, criar cenas na minha imaginação, me satisfazer com um aceno de longe, ou um sorriso, me torturar por ele estar com outra, chorar, sofrer, desejar que ele me ame tanto quanto eu o amo, mas que seja na mesma condição.

Algumas vezes ja fui questionada, por fazer declarações em um diário virtual, mas não deixar que minha real inspiração saiba do turbilhão de sentimentos que desperta em mim.

Confesso.

Ja tentei, resolvi fazer diferente e dizer tudo que estava dentro de mim, mas falhei.
Foi mais forte do que eu, como se naquele instante eu não sentisse mais nada e por isso não tivesse nada a dizer.

Mas a verdade é que ainda sinto.
Você ainda esta nos meus sonhos e nas minhas orações.
É de você que eu lembro quando ouço aquela música, é você que eu vejo quando fecho meus olhos, é o seu beijo que procuro quando beijo outras bocas, o seu olhar que vivo a buscar.

Por mais que eu tente me convencer que passou, que esqueci, que não tenho motivos pra mante-lo vivo em mim, ainda assim, você esta aqui.

Intacto.

Foram somente uma ou duas noites...mas fizeram de mim uma uma adolescente que vive sonhando acordada ao som de melodias romanticas.

Eis que eu te trouxe ao meu mundo platonico, onde somente eu vivo todo esse sentimento, toda essa dor, somente eu sinto essas saudades, somente eu passo as noites em claro, somente eu busco as mais sublimes palavras para assim expressar tudo isso que você desperta em mim, não preciso de você aqui para manter essa ilusão.

Dentre tantas pessoas que vem e vão você ficou em mim...

Como posso então aceitar qualquer outra pessoa se nenhuma delas tem o bom senso de ao menos se parecer contigo?

por ♥ Janinha ♥ @ 19:12 - 1 Comentários

Talvez eu queira ser a exceção....

09/04/2009


Baseado em um livro de auto ajuda este é um filme que vale a pena pois relata a verdade nua e crua de uma forma hilária!!!!

GIGI :
Talvez ele tenha me ligado e eu não recebi
o recado. Ou talvez ele tenha perdido meu telefone,
ou talvez estivesse fora da cidade,
ou talvez tenha sido atropelado por um táxi,
ou sua avó tenha morrido.

ALEX :
Ou talvez não tenha ligado,
porque não está interessado em vê-la novamente.

Esses são meus personagens favoritos, entrei no cinema certa de que estava preparada pra tudo que o filme iria me mostrar, e que ele somente iria confirmar que eu estava certa o tempo todo e que minhas atitudes eram com certeza as melhores diante das situações apresentadas.

Eu era ALEX, ele que sempre matinha uma distancia segura das mulheres, para não se apaixonar, e dessa maneira não corria o risco de sofrer.

Para ele as mulheres eram descartáveis, ele usava de acordo com sua necessidade e descartava logo em seguida, sem se envolver de verdade com nenhuma.

E temos Gigi, a impulsiva, intensa, disposta a encontrar o homem da sua vida, que vira e mexe mete os pés pelas mãos, se expõe e acaba sofrendo, pois sempre acha uma desculpa que justifique o sumiço de fulano, ou o "por que" de ciclano não ter ligado, mas jamais admite que ele simplesmente não esta afim, se baseando sempre em histórias que ouviu da prima, da vizinha, da tia de uma amiga, se pra ela deu certo pra mim também pode dar, pensava Gigi

Os dois se conhecem, e Alex da umas dicas pra Gigi, para que ela identifique quando um rapaz esta afim ou não, ele explica pra ela que essas histórias da prima, da vizinha ou da tia, são exceções e não a regra.

Pois a regra é clara, se o cara esta afim, ele te liga, te procura, te encontra de alguma forma e não tem medo, morte da avó, ou viagem que o impeçam de falar com você.

No entanto ela como sempre, acaba metendo os pés pelas mãos e acha que Alex, este sim, esta realmente afim dela, então se lança em seus braços.

Diante de tal atitude, Alex reage de forma rude, perguntando se ela não havia entendido nada do que ele disse, pois ele não tinha convidado ela pra sair, nem nada, por que ela achava que ele estava afim, pra ele ela estava sendo ridicula.

Eis que Gigi explode em fúria e diz a ele que prefere ser assim, se expor, do que ser como ele, que tem MEDO de se apaixonar e por isso sempre mantem uma distancia segura das mulheres com quem se relaciona, e no fim ele também estava sozinho e seria assim sempre.

Mas ela não, ela tinha esperança e otimismo e continuaria procurando o homem da sua vida.

Ela queria ser a exceção, não a regra.

Pois vejam, Gigi conseguiu mexer comigo, sai do cinema muito confusa, e agora, o que quero?

Ser Alex pra sempre ou me tornar Gigi???

O que vocês acham????

por ♥ Janinha ♥ @ 07:31 - 5 Comentários

E eu me esqueci de acordar

07/04/2009



"Eu que não fumo queria um cigarro, eu que não amo você envelheci dez anos ou mais nesse último mês"

( Engenheiros do Hawaii - Eu que não amo você)



Essa noite eu sonhei com você, e você estava lindo no meu sonho.
Você me olhou nos olhos, e eu pude ver neles, que nossa vida estava começando a partir daquele momento, que as palavras ditas antes não faziam sentido.
Aquele olhar era o ponto de partida do nosso romance.

E o beijo que se seguiu foi o nosso primeiro beijo, aquele mágico, inesquecível e eterno.
Você deixou seus medos de lado e apagou seu passado, me abraçou e prometeu nunca mais me deixar.
A emoção tomou conta de nós e as lágrimas contidas a tanto tempo finalmente jorraram de nossos olhos, lavando toda aquela maquiagem que usavamos pra esconder esse sentimento tão lindo mas que nos amedrontava.

Ainda hoje quando lembro de você, sinto uma vontade de ligar, te ver, saber como esta, deixar um recado, ou perguntar de ti.

Ainda me pergunto o “por que”, não consigo sentir raiva de você, nem achar que você foi errado.

Talvez eu tenha errado, com minha impulsividade, com tamanha intensidade, é que quando você chegou eu perdi minha cabeça pra encontrar seu coração.

O acaso, na verdade é o grande culpado.

Sei também que você não pensa em mim, não passo de uma lembrança vaga em sua mente.

Mas você preenche toda as minhas lembranças, todo o meu dia, escondi tudo, num cantinho secreto dentro de mim, as vezes, escondidinha vou até esse cantinho e relembro cada detalhe, sinto essa saudade, lembro do seu gostinho, e de todas aquelas sensações que você me fez sentir.

Assim, como se estivesse me escondendo de mim mesma, me perco nas lembranças de nós dois, fico feliz por relembrar esses momentos e triste por terem chegado ao fim.

Quando me dou conta dessa recaída, trato de guardar tudo de volta, no mesmo cantinho, dessa vez mais escondido, pra que fique mais dificil de achar e mais fácil de esquecer.

Sei também que esse de quem sinto saudades não é você, você é somente a imagem que escolhi para projetar meus desejos, fico aqui te moldando, fazendo de você tudo aquilo que eu sempre quis pra mim, coloco em você a resposabilidade de atingir todas as minhas expectativas.

E esse você, que não é você, talvez nem exista.
Ou talvez exista, e eu vivo por espera-lo, e quando você finalmente chegar vou te amar do modo mais puro e sincero que alguém pode faze-lo.

Você é meu último pensamento antes de dormir e minha primeira lembrança quando acordo, é meu sonho constante que eu queria tranformar em realidade.

“Sonho parece verdade quando a gente esquece de acordar....”
( Teatro Mágico – Sonho de uma Flauta)

por ♥ Janinha ♥ @ 02:35 - 2 Comentários

Só enquanto eu respirar eu vou me lembrar de você

03/04/2009

Cheguei em casa, passei pelo portão, a porta estava somente escostada como sempre, na sala milhares de porta retratos com fotos antigas e outras mais recentes, passando pelo corredor sinto o cheiro do bolo que foi assado não faz muito tempo, e esta em cima da mesa.
Na pia algumas louças, do almoço talvez, a porta dos fundos esta entreaberta e posso ver algumas roupas estendidas no varal.

Tudo parece normal. Sinto sua presença ali, afinal o que é aquela casa sem você?
Subo para o quarto e la estão suas coisas, na cabeceira aquele livro que você adorava, tudo em perfeita ordem, como você costumava manter.

Sento na cama, a sua cama, e ali naquele quarto escuro é como se eu pudesse sentir seu cheiro, fico ali, como se estivesse esperando você aparecer de sopetão e me dar uma bronca por estar desmanchando sua cama. Mas você não vem.

Ainda ali sinto um aperto forte no coração, fecho meus olhos e começo a me lembrar.
Lembro da comida que você fazia para mim e insistia para que eu comesse, lembro da minha infancia, quando eu era uma criança e você me cobria de cuidados.

Lembro da minha adolescencia quando a gente discutia porque eu achava que você não me entendia, lembro das suas broncas, da sua preocupação comigo.

Lembro de quando você mentia pra me proteger e encobrir as minhas artes.
Lembro do carinho para eu dormir, do beijo de boa noite, lembro de quando eu ficava doente e você me fazia tomar aqueles remédios horríveis.

E quando eu estava dormindo você vinha em meu quarto no meio da noite para me cobrir e ver se eu estava com febre.

E agora?

Como posso viver sem esse amor incondicional?

Você sempre dizia as palavras certas, só você sabia como me confortar, e as vezes não precisava dizer nada, era só me deixar em seu colo.

Sinto que essas lágrimas nunca vão secar e essa dor nunca vai passar.

Não posso ficar sem você, desde o dia em que eu nasci você viveu para cuidar de mim, colocou o meu bem estar em primeiro plano, renunciou sua vida para construir a minha, chorou quando eu chorei, sorriu quando eu sorri, fez o possível e o impossível para que eu estivesse sempre bem.

Mas e agora?

Eu nada pude fazer pra evitar que você se fosse e essa dor que sinto agora ninguem sera capaz de fazer parar.Sei que você não suportaria me ver sofrendo dessa maneira.

Mas o que me resta?Não posso olhar pra essa caixa e ver seu corpo assim, imóvel, palido, tão frio, essa não é você, a morte não combina com você.

Você sempre foi forte, determinada, sempre esteva em movimento e tinha um calor próprio, sempre foi tão iluminada...

E agora me vejo diante dessa situação, a mais dificil da minha vida.
Eu sempre me enganei, fingi que esse dia nunca iria chegar, que você não iria me deixar, que você era eterna.

Sei que vou sonhar com você todas as noites, e vou chorar diante de qualquer lembrança sua, essa dor nunca irá passar e enquanto eu viver sentirei saudades de você, pois esse amor que nos envolve é muito grande, forte, leal, é incondicional, você me amou dessa maneira, como somente uma mãe pode fazer.

Este texto é na verdade hipotetico, nunca vivi essa dor, mas ja faz algum tempo que eu queria escrever sobre a morte.

Existem mil definições e teorias sobre o fim da vida.

Pra mim o fim é o fim.

A morte é algo para nós vivos, nós é que temos que lidar com ela e essa não é uma tarefa fácil.
Nietzsche falava sobre o eterno retorno, que nossa vida era continua, depois da morte começaríamos a viver de novo, tudo igualzinho, cada momento, cada palavra, tudo iria se repetir, nos questionando se vivemos hoje uma vida que gostariamos de viver por toda a eternidade.
Esses dias uma testemunha de Jeova bateu em minha porta e pediu se não poderia ler um trecho da Biblia para mim, não lembro qual texto era, mas falava em ressureição, e ela então me explicou que eles acreditavam que depois da morte nós voltariamos a vida e todos nos reencontrariamos para viver juntos novamente, me fez lembrar de Nietzsche.

Eu acredito que a fé é a única coisa que pode nos fortalecer, para enfrentar situações e dores como essa.

“A morte não é nada. Eu somente passei para o outro lado do Caminho.

Eu sou eu, vocês são vocês.

O que eu era para vocês, eu continuarei sendo.

Me dêem o nome que vocês sempre me deram, falem comigo como vocês sempre fizeram. Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas, eu estou vivendo no mundo do Criador.

Não utilizem um tom solene ou triste, continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos.

Rezem, sorriam, pensem em mim.

Rezem por mim.

Que meu nome seja pronunciado como sempre foi, sem ênfase de nenhum tipo.

Sem nenhum traço de sombra ou tristeza.

A vida significa tudo o que ela sempre significou, o fio não foi cortado.

Por que eu estaria fora dos seus pensamentos agora que estou apenas fora de suas vistas?

Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do Caminho...

Você que aí ficou, siga em frente, a vida continua, linda e bela como sempre foi."

[Santo Agostinho]

por ♥ Janinha ♥ @ 09:14 - 1 Comentários

Homens perfeitos não são homens

"Ai, não tem homem no mundo", "Ai, eles não são românticos", "Ai, ele não abaixa a tampa da privada", "Ai, ele só pensa em futebol"...

Pare, querida! Antes que seja tarde demais.

São raras as mulheres que gostam e respeitam a natureza masculina sem tentar transformá-la.
As lésbicas são as únicas que admitem (mesmo que inconscientemente) que mulheres são criadas para gostar de mulheres e não para gostarem de homens.

Elas se poupam da tarefa insana de mudar os homens e não ficam empatando o jogo como muitas mulheres que tentam, a qualquer custo, acabar com o que ainda existe de masculinidade neste planeta.
Que a verdade seja dita: hoje em dia, um homem que preencha todos os requisitos do homem perfeito não é um homem; é uma mulher.

É só olhar para trás...

Assim que começamos a nos relacionar (me deixem generalizar em paz, por favor!) estabelecemos a separação: menina brinca com menina e menino brinca com menino.
Meninos jogam bola e meninas brincam de casinha, meninos fazem "eca, sai pra lá" quando o assunto é namorada e meninas conversam naturalmente sobre rapazes desde o jardim da infância.

Até aí tudo bem, se não fosse pelo fato de que as meninas constroem a imagem dos príncipes baseadas nas qualidades femininas e não nas masculinas.
Elas idealizam o homem perfeito a partir do mundo cor-de-rosa criado entre elas enquanto os garotos, quando muito, pensam em mulheres de forma muito superficial.

Acreditem, é ai que a vaca vai para o brejo!

Na adolescência a maior parte das garotas já está escolada de tagarelar com as coleguinhas sobre como um garoto deve se portar para ser um bom namorado.
E por mais esforço que uma mulher faça para pensar por conta própria o namoro e o namorado estarão fantasiados, prontos e acabados em suas mentes antes mesmo do seu primeiro beijo.
Daí para a decepção com o universo masculino, resta pouco...

E que culpa os homens tem?

Nenhuma.

Os pobres rapazes, normalmente começam suas relações sem muitas expectativas (diga-se de passagem, uma atitude muito saudável).
Entram de manés na brincadeira por conta dos incompreensíveis hormônios que começam a despertar suas duas cabeças e, muitas vezes, ainda levam a fama de sapos.

Também, pudera! Elas esperam um garoto educado, romântico, arrumadinho, comportado, fiel, que goste de conversar...

E o que elas encontram?

Um menino maluquinho, um garoto apaixonado, um ser acostumado a passar os dias transpirando, cheirando mal e se vangloriando disso para os amigos, que se masturba pensando até nas curvas de uma garrafa de Coca-Cola e que troca, no máximo, meia dúzia de gírias e expressões da moda com o resto da molecada.

Aí elas pensam: "Ai, meu deus! É impossível namorar este menino!".
E eu digo: Sim, minha flor. Porque isto é um homem.

E se você quiser que ele seja muito diferente, você corre o risco de transformá-lo em uma moça.
Não, ele não gostará de outros homens.
Mas se tornará um homem tão sensível aos seus apelos de mudança que não se reconhecerá mais.

E você terá sob o seu domínio um ser que nunca lhe roubará um beijo, que irá lhe tratar como algo quebrável, que disputará a tapas com você os seus cremes, xampus e os espelhos da casa.
Em busca da masculinidade perdida, ele terá tantas ou mais crises que você e, se vacilar, pedirá para você matar todas as baratas que entrarem por baixo da porta.

Até você perceber que está insatisfeita.

Neste dia você passará a ter dores de cabeça, criará novos efeitos para a TPM, perderá horas discutindo a relação, perceberá que bastaria se ele tivesse crescido, aprendido a tomar banho com frequência e cuidasse de você.

Descobrirá que o que você queria de verdade era sexo nervoso, beijos calientes, um amante másculo, seguro de si, de pulso firme, Bozzano no cangote e sem crises bestas.

Um homem simplesmente...

Um homem de corpo, alma, atitude e que não se deixe manipular por teorias e pirações femininas.

Um homem, afinal...

Que lhe respeite, proteja e não deixe de jogá-la na parede e chamá-la de lagartixa.

Esse texto não é meu e também desconheço a autoria por isso não darei os créditos. Mas é um texto que gosto muito!

por ♥ Janinha ♥ @ 02:51 - 2 Comentários

Voltar ao menu